Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O melhor Pai do Mundo

Ser Pai é uma experiência que merece ser partilhada. Este espaço é dedicado a todos os Pais que receberam dos seus filhos o título de "O melhor Pai do Mundo".

27.Nov.16

Pai, quero ir a todas as festas de aniversário

pai-quero-ir-a-todas-as-festas-de-aniversario.png

 

Festas de aniversário, as crianças adoram e os Pais nem por isso. Concordam? Vou tentar explicar bem a minha opinião e convido-vos a deixar um comentário. Gosto sempre de ler outros pontos de vista. O tema foi motivo de conversa na entrevista ao programa Olá, Maria! do Porto Canal. Veja ou reveja o vídeo:



Lembro-me da primeira festa que fomos onde o aniversariante não era da família ou amigo próximo. Não sabíamos bem o protocolo. Era suposto deixar a criança, perguntar a que horas acaba e vir embora? Por acaso, fomos convidados a ficar. Foi engraçado ver os Pais, que mal se conheciam, a escolher um canto sem saber muito bem o que fazer durante duas horas...inteirinhas. Ainda bem que conhecemos Pais bem simpáticos.

Agora é que vem o pior. Normalmente os espaços escolhidos para estas festas nem deixam os Pais se aproximarem, convidando-os a ir para uma sala com vista para o espaço das brincadeiras, como se fosse uma espécie de montra onde do outro lado estão pequenas criaturas a correr de forma desenfreada, a subir a insufláveis gigantes, a jogar futebol com mais 20 crianças, etc. etc.

Já estão mais ou menos a perceber porque me custa a encaixar. E o lanche? Salvo raras exceções, não faltam as batatas fritas, as pipocas, os refrigerantes, o famoso bolo de chocolate e a cereja no topo do bolo: um saco de gomas e rebuçados como oferta para todos os convidados.

Para fechar em beleza, vamos a contas. Se numa turma existirem 25 alunos e pelos menos metade organizar uma festa de aniversário, contabilizamos 12 ou 13 festas. Na equipa de futebol ou no grupo do ballet somamos mais umas 6 ou 7 festas. Ainda na catequese mais umas 7 ou 8. Já fizeram as contas? Por alto são umas 25 festas no ano e eu acho que os números são por baixo. Se for uma em cada fim de semana, estamos a falar em quase metade dos que temos num ano!!! Somem agora uns euros às contas, porque temos de levar uma prendinha para o aniversariante. Eu vou voltar a esta questão das prendas mais à frente.

Agora vou falar da festa dos nossos. Os Pais perguntam "Quem queres convidar para a tua festinha?" e a resposta demora menos de um segundo "TODOS!". Eu sabia que a pergunta era escusada. Ok, vamos lá. Onde vamos fazer a festa? Num destes sítios já formatados, chave na mão e que as crianças gostam de certeza, ou vamos personalizar e separar todos os serviços? Já experimentei as duas situações e compreendo os Pais que organizam nos tais locais desenhados para o efeito. É mais cómodo e têm tudo pronto inclusivamente os convites. Chego à conclusão que o melhor é seguir o caminho mais comum do que traçar um novo.

Não quero terminar sem falar das prendas. Se se confirmarem as 25 crianças na festa das nossas crianças isto equivale a 25 prendas. Nem no Natal. É mais um exagero! Nós Pais, a tentar cultivar valores para que as crianças não peçam tudo o que vêm e chegam a esta altura não chegam dois sacos dos grandes para trazer tudo para casa.

Vou deixar três sugestões no ar e desafio os Pais, que concordarem, a passar a mensagem aos espaços que organizam festas de aniversário (digam pelo menos que leram estas ideias no blog O melhor Pai do Mundo):

1ª Envolvam, de alguma forma, os Pais na festa. Já que ficamos privados dos nossos filhos durante duas horas num fim de semana, vamos tornar este tempo mais divertido para todos.

2ª Revejam os lanches. As crianças já começam a estar sensibilizadas sobre a alimentação saudável e por isso sabem distinguir o que podem e o que não devem comer. Uma ou outra guloseima não faz mal, mas em overdose é que não.

3ª Pensem num sistema de compra coletiva de prendas. É definido um valor, o aniversariante escolhe o presente e os convidados contribuem com o que entenderem. Se no final faltar dinheiro para trazer a prenda escolhida, os Pais podem cobrir esse valor ou ficar com um vale de compras numa loja associada.

E com isto finalizo o meu contributo para que, sempre que os seus filhos receberem um convite para uma festa de aniversário, a sua reação não seja (como a minha) “Hmm...mais uma festinha”.

O Pai
22.Nov.16

Pai, vamos oferecer dois ursinhos cheirosos

pai-vamos-oferecer-dois-ursinhos-cheirosos.png

 

---PASSATEMPO TERMINADO---

Aceitei o simpático convite da Mustela Portugal para ser embaixador da marca. É uma honra, especialmente por ser uma marca de enorme prestígio entre os Pais e de reconhecida qualidade. Só posso estar orgulhoso e nada melhor do que um passatempo para celebrar esta ligação entre “O melhor Pai do Mundo” e a Mustela Portugal.

Tenho dois perfumes e dois ursinhos carinhosos e muito cheirosos para oferecer, um para a Mãe e outro para o Pai

Passatempo Mustela

O prémio é o cheiroso perfume Eau de Soin Musti 50ml da Mustela e um ursinho carinhoso. Se for o vencedor ou vencedora, poderá escolher a cor deste fofinho urso.

Condições de participação

Para participar é simples:
1. Fazer “Gosto” na página "O melhor Pai do Mundo" no Facebook
2. Fazer “Gosto” na página da "Mustela Portugal" no Facebook
3. Partilhar de forma pública o post deste passatempo no Facebook
4. Preencher o formulário do passatempo



Regulamento


1. O passatempo decorre do dia 22 de novembro até às 23:59 do dia 30 novembro.
2. Para participar, deve seguir a página "O melhor Pai do Mundo” e da “Mustela Portugal” no Facebook, partilhar de forma pública o post deste passatempo no Facebook e preencher todos os dados do formulário.
3. Os vencedores serão divulgados no dia 3 de dezembro após sorteio no site random.org. Um prémio será atribuído a uma Mãe e outro atribuído a um Pai.
4. Os vencedores serão anunciados na página do Facebook "O melhor Pai do Mundo”. Se no prazo de 5 dias após o anúncio os vencedores não reclamarem os prémios, proceder-se-á a novo sorteio.
5. O envio será feito pela Mustela para endereços em Portugal.
6. Esta iniciativa não é patrocinada, apoiada, gerida ou associada ao Facebook. As inscrições, as participações e a promoção são da responsabilidade do blog "O melhor Pai do Mundo".
7. Os dados recolhidos serão partilhados com a Mustela Portugal e utilizados pelo blog "O melhor Pai do Mundo" para envio de newsletters periódicas.
8. Reserva-se o direito de excluir participações que não cumpram este regulamento.

Boa sorte!

O Pai

20.Nov.16

Pai, vê o meu manequim challenge

pai-ve-o-meu-manequim-challenge.png

 

Ainda faz parte daquelas pessoas que não sabe ou nunca viu um manequim challenge? Pois bem, vai deixar de pertencer a esse grupo minoritário de pessoas e logo com o melhor vídeo de sempre.Sábado de manhã, energia no máximo e ideias a transbordar. “Pai, o que vamos fazer?” ouvi eu na loucura das 8:00 horas da manhã. Eu não me lembro o que respondi porque o meu cérebro ainda não tinha ligado e o resto do corpo estava em descanso profundo.

Consegui aguentar 7 minutos a tentar adiar a resposta. Um recorde para os dias que correm. Tive uma epifania “Vamos gravar um vídeo!!!”. Nem sabia onde me estava a meter. Conselho de Pai: tenham cuidado com aquilo que dizem ou prometem quando o vosso cérebro ainda está a aquecer. Aquilo que disserem é para cumprir, de preferência no menor espaço de tempo possível.

“Pai, um vídeo sobre o quê?” e começaram a sair as ideias…e mais ideias…e mais ideias. Ok, vamos pôr ordem nisto “E que tal um vídeo onde todos os participantes fazem de estátua?”. “Nunca vi, mostra-me”. Comecei a mostrar alguns dos milhares de vídeos sobre o manequim challenge. No final desta história, deixo-vos alguns links.

“Ah já percebi, mas só estamos os dois em casa, não tem piada”. Pois tem razão. “Espera, vamos convidar os meus bonecos”, que grande ideia, um manequim challenge de bonecos!

Montamos o cenário, utilizamos apenas uma décima parte de todos os bonecos “convidados”. Foi como se tentássemos fazer uma festa para 500 pessoas na nossa própria casa. Fizemos um teste de planos e quisemos guardar uma surpresa para o final. Para descobrir, nada melhor que ver o vídeo:

 

 

Gravado à primeira! Foi muito divertido.Aqui estão outros exemplos, não tão bons claro:
Rádio Comercial
Seleção Nacional de Futebol
Lego Shop em Londres
Hillary Clinton

O que é que acharam? Comentem e partilhem os vossos vídeos.

O Pai

16.Nov.16

Pai, já sei escrever Mãe e Pai

pai-ja-sei-escrever-mae-e-pai.png

Pai: Como correu a escola, hoje?
Filho: Bem.Pai: O que fizeste?
Filho: Coisas normais.


Quantas vezes já teve uma conversa deste género em que os nossos nervos como Pais são testados ao limite? Não sei como é desse lado, mas aqui em casa estas conversas sobre a Escola são muito telegráficas, a exceção surge quando não são os Pais a perguntar.

Há tanta coisa que nós queremos saber, mas só conseguimos "arrancar" pequenas coisas. Claro que acompanhamos de perto os TPC, os cadernos e sempre que possível pedimos feedback à professora, mas a boca daquele rapazinho é um túmulo.

Mas esperem! Um dia destes disse-nos que tinha uma novidade para nos contar e que ia fazê-lo ao jantar. Ok, ficamos em pulgas e pensar em mil e uma coisas possíveis: portou-se mal e levou um raspanete da professora, não gostou do almoço e fez birra ou trocou alguns cromos com os amigos...os nossos processadores estavam a bater no vermelho.

Foi assim: "Quero mostrar-vos que já sei escrever Mãe e Pai". Ficamos em silêncio uns segundos a olhar um para o outro. Uau! Respondemos "Claro que queremos ver". O pequeno pegou num papel, pediu uma caneta e de forma decidida fez isto:

pai-ja-sei-escrever-mae-e-pai-foto1
Aquele momento respondeu a quase todas as perguntas que normalmente ficam por responder. Deu-nos a certeza que há ali felicidade em aprender, orgulho nosso e dele por gostar da escola, espírito crítico por demonstrar que mesmo tendo conseguido fazer bem, quer fazer melhor.Pai, já sei escrever Mãe e Pai - Foto 2
Quando menos esperamos surgem estes doces, estas doses de oxigénio que nos permitem libertar um bocadinho o coração apertado por não sabermos em tempo real como estão as coisas.

O Pai

15.Nov.16

Pai, que música estás a ouvir? #2

pai-que-musica-estas-a-ouvir-starboy-the-weeknd-da

O The Weeknd morreu, melhor foi assassinado! Ok, afinal cortou o cabelo e quis retratar esse facto como se tivesse sido morto e que o assassino tomou o seu lugar.É assim que começa o vídeo (premiado nos últimos prémios MTV) que junta The Weeknd e os sempre poderosos Daft Punk.

Comecei por ouvir a música numa lista do Spotify enquanto estava no ginásio e tratei de confirmar logo ali se era mesmo o The Weeknd. Ao contrário do que possam pensar eu não sou fã do The Weeknd pela sua música para o filme "As 50 sombras de Grey", mas sim pela batida e pelo groove que as suas músicas transmitem.

Esta já faz parte da minha lista, aqui fica o vídeo (tocar bem alto):

 

Já agora, para quem quiser saber, o carro que o artista conduz neste vídeo é o McLaren P1 avaliado em 1,5 milhões de dólares! Quem aparece também é o Lamborghini Aventador SV Roadster, uns dos que o Cristiano Ronaldo tem na sua garagem.Comentem o que acham desta música e em que situações é que mais gostam de a ouvir.

O Pai

12.Nov.16

Pai, posso sair à noite?

pai-posso-sair-a-noite.png

A pergunta que nenhum Pai quer ouvir, pelo menos enquanto a sua criança tem menos de...30 anos(!?!?). Agora a sério, qual é a idade em que devemos deixar os nossos filhos entregues a si próprios?

A noite, esse monstro que engole pessoas. Nesta história, a noite tem um sentido mais amplo, pode ser uma festa na matiné, uma viagem para fora do país, ou simplesmente uma ida ao cinema. Tudo cenários diferentes, mas que obriga os Pais a refletir.

Passam pela minha cabeça imagens de Pais com armas em riste (imaginárias, espero), Pais com olhares ameaçadores para os que acompanham o/a filho/a nesta aventura, Pais que dormem nos carros à espera que os filhos saiam da festa. Tudo cenários negros, como a noite, claro.Ok, respire fundo. Vou enumerar as 4 respostas que chegaram em primeiro lugar ao meu pensamento. São apenas 4 mas poderiam ser muitas mais:

Resposta 1: Depende.

O Pai e a Mãe que dão esta resposta estão a tentar reunir doses de confiança para finalmente dar asas ao seu rebento. Uma decisão deste calibre é influenciada pelo estado de maturidade da criança/adolescente, pelo círculo de amizades e aquilo que se conhece desses amigos, pelo local onde se vai desenrolar a saída e uma outra série de fatores que os Pais devem incluir mediante o seu próprio instinto.

Resposta 2: Sei lá, nem quero pensar nisso já.

Esta é a resposta de Pais com filhos mais pequenos. Mas atenção, rapidamente chegam as festinhas da escola, o acampamento de férias, os torneios de futebol fora da cidade. Preparar-se é observar outros exemplos, falar com Pais que já passaram por esta fase e retirar daí alguns ensinamentos.

Resposta 3: Aos 18, mas...

O 18 continua a ser o número psicológico que marca a entrada na idade adulta. A minha opinião é diferente. Talvez há uns 20 ou 30 anos, ter 18 anos significava que a vida de um adolescente era-lhe entregue e a partir daí ele dependia de si próprio para vingar. O mundo mudou muito e os Pais foram quase que obrigados a "guardar" os seus filhos até mais tarde, permitindo-lhes prolongar a adolescência por mais uns anos. Depois há que ter em conta a personalidade de cada um. Eu lembro-me que com 18 anos já tinha o meu emprego em part-time, comprei um carro e geria as minhas contas. Não creio que os 18 anos hoje sejam assim, na maioria das situações. Por isso, não se ligue a números, confie na sua avaliação e, mais uma vez, no seu instinto.

Resposta 4: Até deixo, mas eu quero estar lá a um cantinho.

Este é o sonho dos Pais. Como a minha mãe costuma dizer "Eu queria ser uma mosquinha para ver o que se passa". Esta resposta é um típico "Nim". Qual é o filho que aceita que o seu Pai ou a sua Mãe estejam no mesmo sítio? Nenhum? Calma, eu acredito que até pode resultar. Por exemplo, eu faço questão de ir com o meu filho ao seu primeiro festival de música. Um a sério, não aqueles para as famílias e tal. Logo avaliarei qual a margem que lhe vou dar e também a que ele quer que eu lhe dê. Se este cenário for bem aceite, sobretudo se for bem construído, acredito que eu possa estar lá a um cantinho, sem precisar de ser uma mosquinha.

Haverá, certamente, muito mais respostas por isso convido todos a deixarem nos comentários que resposta dariam se um filho lhe pedisse, pela primeira vez, para sair à noite.

O Pai

09.Nov.16

Pai, que música estás a ouvir? #1

pai-que-musica-estas-a-ouvir-father-and-son.png

Não poderia haver melhor estreia para estas histórias sobre as músicas que ouço do que a mítica canção de Cat Stevens, "Father and Son". A música remonta ao ano de 1970 e ao ábum do cantor britânico intitulado "Tea for the Tillerman".

Recordo-me perfeitamente que ouvi esta música pela primeira vez numa aula de Inglês no 7.º ano.

O exercício era perceber o significado da letra, algo muito difícil porque há várias correntes. Uns defendem que é um diálogo entre Pai e filho, outros dizem que é uma discussão e ainda há quem defenda que é o filho a ler uma carta do Pai.

A música marcou a minha descoberta da obra de Cat Stevens. Tanto o meu Pai como o meu Tio tinham vários álbuns em vinil e eu tratei logo de gravar umas faixas para uma cassete para poder ouvir no meu rádio. O cantor converteu-se ao islamismo e adotou o nome Yusuf Islam.Aqui fica o vídeo para recordar um clássico:



Muitos anos mais tarde, apareceu um dueto que juntou o próprio Yusuf e Ronan Keating que pertenceu à banda irlandesa Boyzone (que também tinham uma versão, mas menos conhecida).

 



Comente e partilhe quando e onde ouviu esta música pela primeira vez e qual é, para si, o seu significado.

O Pai

06.Nov.16

Pai, não quero dormir

pai-nao-quero-dormir.png

Recentemente a minha família cresceu. Um priminho (felicidades aos papás) que vem aumentar ainda mais o orgulho da minha Avó que já conta com três bisnetos (beijinho Avózinha).


Daqui a uns dias vamos obviamente querer conhecer o novo membro da família e para além dos abraços e beijinhos irão surgir as perguntas sacramentais: E então, o bebé come bem? E deixa dormir os papás?

Dormir, esse luxo que todos os Pais recentes (e não só) desejam mais do que tudo. O problema do sono existe e, para além de tudo o resto, não deixa os Pais descansarem o que precisam. Enquanto que numa fase inicial as causas da falta de sono dos bebés são mais ou menos conhecidas, quando este drama se prolonga para além dos primeiros meses pode-se estar a caminhar para algo mais grave e traumático para as crianças e, claro, para os Pais.

Para além de todos os métodos conhecidos e testados até à exaustão (e que eu acredito que não haja nenhum milagroso), recentemente chamou-me à atenção um livro. Sim, leu bem, um livro!

Numa das nossas visitas (sempre demoradas!!) a uma livraria, peguei num livro intitulado "Olívia, a ovelha que não queria dormir" que me chamou a atenção pelo seu cheiro! Peguei no livro e li um pequeno sinal que dizia "com cheiro a alfazema".

Depois de cheirar e folhear, percebi que se tratava de uma história que ajuda os Pais a adormecerem as suas crianças. É da autoria de Clementina Almeida, psicóloga e conhecida, entre outros projetos, pelo único spa para bebés no país, o Spa ForBabies.

O livro conta ainda com o prefácio do também psicólogo Eduardo Sá, bem conhecido dos Pais. Tenho de dizer que é um prefácio um tanto ou quanto polémico. Convido-vos a ler, irão logo perceber porque é que, como Pai, fiquei irritado! Sim, muito irritado.

Olívia, a ovelha que não queria dormir 

Ainda na primeira vista de olhos, li que o livro inclui instruções de leitura para Pais. Para mim, como Pai, este aspeto é cada vez mais relevante quando escolho um livro, porque para além da história, os Pais podem aproveitar para reforçar a sua interação com a criança e tirarem ainda mais partido do momento da leitura. Neste caso em particular, o livro acompanha os Pais na forma como o devem ler, mesmo na entoação que devem dar às palavras e às expressões.

Olívia, a ovelha que não queria dormir

O método presente neste livro é fruto de uma investigação científica da autora que até adverte os Pais para escolherem bem o local onde vão ler a história.

Olívia, a ovelha que não queria dormir

Como referi em cima, não há métodos milagrosos e o que funciona para uns não quer dizer que funcione para os nossos. Cada criança é diferente, assim como nós Pais somos diferentes uns dos outros.Acima de tudo tem de existir muita tranquilidade e muita confiança de que estamos a fazer as coisas bem. Claro que se encontrarmos algo que nos possa ajudar, como é o caso do livro "Olívia, a ovelha que não queria dormir" é sempre bem-vindo.

Olívia, a ovelha que não queria dormir

No caso do problema persistir e se estiver a formar um trauma para todos, consultem o pediatra que certamente vos encaminhará para um profissional competente. Não cheguem ao limite, peçam ajuda antes de desesperarem.

O Pai

P.S.: Ah ia-me esquecendo! E porquê o cheiro a alfazema? Porque este cheiro é um indutor natural do sono e por isso uma perfumada ajuda para criar um clima perfeito para uma boa noite de sono. Temos sempre algo a aprender com os livros.

01.Nov.16

Pai, eu não estou a mentir

pai-eu-nao-estou-a-mentir.png

Um Pai sabe de certeza detetar se o seu filho está a mentir. Conhece-o como ninguém, sabe os seus truques e manhas, deteta aquele desviar do olhar ou aquele coçar no queixo. Não há que enganar, um filho não consegue mentir para o seu Pai. Certo?

MENTIRA! Um estudo recente publicado pela Law and Human Behavior concluiu que os Pais só conseguem identificar se os filhos estão a mentir em 47,5% dos casos. Menos de metade!?!

"O estudo agora realizado envolveu 7.893 adultos e 1.858 crianças em 45 experiências concretas, e concluiu que os adultos classificaram como honestas 63,8% das afirmações verdadeiras das crianças. Em relação às mentiras, a taxa é substancialmente menor: apenas 47,5% das afirmações falsas das crianças foram identificadas como mentiras pelos adultos." in Observador

Estes estudos têm sempre um grau de subjetividade elevado porque dependem sempre das condições como foram recolhidas as respostas, principalmente as das crianças.

Pensando bem no assunto, fico um pouco apreensivo com a ideia de não detetar uma mentira, principalmente se esconder algo que pode ser grave. Acredito porém que mais tarde ou mais cedo a verdade virá ao de cima, mas quero que seja o mais cedo possível para evitar estragos.

Confesso que lidar com a mentira é algo novo por isso tenho de recolher mais provas para chegar a um veredicto.

O Pai