Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O melhor Pai do Mundo

Ser Pai é uma experiência que merece ser partilhada. Este espaço é dedicado a todos os Pais que receberam dos seus filhos o título de "O melhor Pai do Mundo".

26.Dez.16

Pai, faz o resumo de 2016

pai-faz-o-resumo-de-2016.png

 

Dizer que 2016 foi um ano em cheio é pouco. Foi muito intenso, sem dúvida. O melhor Pai do Mundo ganhou muitos seguidores e foram muitas as histórias que marcaram este ano. Aqui ficam as histórias mais populares de 2016:

Janeiro

Pai, posso ir contigo para o trabalho?
Esta história surge com a curiosidade normal das crianças em conhecer melhor onde os Pais passam tantas horas. Foi inspirada por uma notícia que relatava que uma deputada espanhola levou o seu filho bebé para o parlamento e isso, obviamente, levantou polémica.

Fevereiro

Pai, adoro ver-te sorrir!
É das histórias mais populares do blog. Quanto vale um sorriso, é isso que pergunto. Um sorriso dos Pais é um instante de felicidade e de cumplicidade. Um sorriso dos nossos filhos é uma benção. Temos de saber guardar estas preciosidades.

Março

Pai, tu tens super-poderes
No mês do Dia do Pai, a história de que os Pais têm super-poderes foi um sucesso. São 10 poderes que cada Pai tem quando veste o seu fato especial. Vale a pena ler ou reler.

Abril

Pai, não quero dar beijos
Esta história tem uma pitada de polémica, especialmente se estivermos a falar de pequenas birras que as crianças fazer e que às vezes a culpa até é nossa. Devemos obrigar os nossos filhos a dar beijos a toda a gente?

Maio

Pai, eu adoro viajar
Esta é das minhas histórias favoritas. Adoramos viajar e descobrir sítios novos. Diz-se que um dos nossos melhores investimentos são as viagens, porque ficam na nossa memória para sempre. Esta história até foi tema de conversa no programa Olá Maria do Porto Canal.

Junho

Pai, não sei o que vou ser quando for grande
É das grandes dúvidas de todos os Pais. Devemos ou não interferir no futuro dos nossos filhos ao ponto de os orientar a escolher a sua área profissional.

Julho

Pai, estou aborrecido. O que posso fazer?
Tempo de férias e as crianças deixam a Escola para três longos meses. Tão longos que acabam por se aborrecerem. E nós devemos deixá-los aborrecerem-se? Faz parte da vida saber lidar com estes momentos.

Agosto

Pai, ainda falta muito para chegarmos?
Agosto é sinónimo de férias para muitos Pais e que pode significar viagens longas e a impaciência normal de quem quer dar uns valentes mergulhos. Há jogos que resultam e outros que nem por isso. Pais, coragem!

Setembro

Pai, o nosso blog está nomeado!
Foi o momento mais marcante do ano de 2016, o blog O melhor Pai do Mundo foi nomeado para Blog do Ano na categoria família. Foi o início de uma viagem alucinante e intensa que mostrou a muitas pessoas que de facto ser Pai é uma experiência que merece ser partilhada.

Outubro

Pai, pede a senha do wifi
Esta história mostra o sinal dos tempos. Hoje as crianças entram num restaurante e andam de nariz no ar à procura do símbolo do wi-fi. Para quê? Para se manterem ligados ao Mundo. Nós Pais temos de nos adaptar, mas não nos podemos esquecer que somos nós que ditamos as regras.

Novembro

Pai, já sei escrever Mãe e Pai
Para quem desespera como eu quando o que ouvimos sobre a escola é um simples e seco “Correu bem”, perceber uma conquista como a de saber escrever Pai e Mãe, deixou-me completamente derretido e orgulhoso. Pai babado, sim eu sou.

Dezembro

Pai, fizeste uma proposta ao Pai Natal?
Sendo o mês do Natal, cansei-me de ler as listas de presentes. "Os 10 melhores presentes para os Pais” ou “O que deve dar aos seus filhos”. Comecei eu próprio a escrever uma lista, mas depressa me apercebi que o Pai Natal deve muito a todos os Pais deste Mundo e por isso resolvi fazer-lhe uma proposta. Ok, ok, ele não cumpriu, mas tentei!


O que é que eu projeto para 2017? Vão surgir grandes novidades já nos próximos tempos. Quero que "O melhor Pai do Mundo" chegue a mais pessoas, que a mensagem continue a ser interessante e que, acima de tudo, o papel do Pai continue a ser valorizado por todos, incluindo os próprios Pais.

Em 2017, as nossas crianças vão continuar a orgulhar-nos, vão continuar a surpreender-nos, vão continuar a desafiar-nos e nós? Nós Pais continuaremos a mostrar-lhes o caminho e a sermos nós próprios, seguindo o nosso instinto.

Um bom ano de 2017 para todos!

O Pai

18.Dez.16

Pai, quero ser da equipa dos Indomáveis FC

pai-quero-ser-da-equipa-dos-indomaveis-fc.png

 

Lembram-se de ter escrito uma história sobre o futebol e a paixão que gera sobretudo nos rapazes, foi aqui “Pai, quero ser jogador de futebol”. É um tema incontornável. Nesta fase o miúdo devora tudo o que tem a ver com futebol. São vídeos no Youtube com golos fantásticos ou defesas impossíveis, são vídeos de outros aficionados a jogar o Fifa ou o PES, são vídeos de desenhos animados que recriam cenas entre as maiores estrelas do desporto Rei como o nosso Cristiano Ronaldo, o pequeno Messi e até o dentes de coelho Luis Suarez.

Para além deste mundo infindável de vídeos, lembro-me de ter visto todos os 345 (ou mais) episódios do Oliver e Benji umas três vezes. É uma série mítica e que já atravessou várias gerações. Mas e coisas destas no nosso português, adaptadas à nossa realidade? Nada...ou quase nada!

Há uns dias descobrimos Os Indomáveis FC, uma coleção de livros (para já com dois títulos) do autor português Álvaro Magalhães. Começamos a ler o primeiro “O Mundo é uma bola” que conta a história de dois irmãos, cujos pais se acabaram de separar e que procuram numa nova cidade fazer novos amigos e, sobretudo, encontrar uma equipa para jogarem futebol.

Pai, quero ser da equipa dos Indomáveis FC
Sendo uma história em português, passada em Portugal é fácil para as crianças desenvolverem cenários imaginários, quase como se passasse ali ao lado de casa ou perto da Escola. E tudo começa num campo de terra ali perto de casa (faz-me lembrar a minha infância), os amigos com apelidos engraçados (o Vidrinho é demais!) e ideias muito imaginativas para fazerem nascer uma equipa. Até o Cristiano Ronaldo aparece na história, mas isso é segredo.

Pai, quero ser da equipa dos Indomáveis FC
Já faziam falta histórias em português deste género, muito bem escritas pelo Álvaro Magalhães e ilustradas de forma muito expressiva pelo ilustrador Gio Fornieles.

Pai, quero ser da equipa dos Indomáveis FC
Estamos a gostar muito de ler este livro, as peripécias dos dois irmãos e dos seus companheiros agarram-nos à história. Estou sempre a ouvir quando fechamos o livro: “Pai, será que eles vão ganhar?” ou “Pai, já fiz uma jogada igual na escola”.

O Pai
13.Dez.16

Pai, fizeste uma proposta ao Pai Natal?

pai-fizeste-uma-proposta-ao-pai-natal.png

 

Caro Pai Natal, pensei em escrever-te uma carta mas achei que não iria ter sorte já que deixamos de nos falar há uns bons 30 anos. Seria muito abusador da minha parte, estar tanto tempo sem te dar atenção e agora vir aqui pedir-te presentes. Não vou pedir presentes mas vou fazer uma proposta, uma proposta justa, no meu entender, tendo em conta aquilo que tenho feito pela tua pessoa, por preservar o teu papel bondoso e de mãos-largas.

Sim porque se a minha criança te venera deves-me muito, como deves a todos os Pais e Mães deste Mundo.

Todos os anos apareces em meados de novembro, mas estás sempre a tentar chegar mais cedo. Não sei bem o que tens combinado com os centros comerciais, mas este ano, ainda em outubro, já te via pendurado numa ou noutra loja. Em outubro? Tu queres enlouquecer os Pais? São dois meses até ao dia 24 de dezembro. Não sei se tens filhos, mas convido-te a experimentar ouvir uma criança a falar sobre um assunto durante dois meses, inteirinhos. Já devias saber que "persuasão" é o nome do meio de qualquer criança. Eu como Pai aguento, desde que aceites a minha proposta.Há outra coisa que quero que tenhas em conta. Compreendo que a tua fábrica de brinquedos tenha de escoar o stock em cada ano que passa, mas encher a televisão de propostas? Começo a desconfiar que nunca tiveste de enfrentar as dúvidas de uma criança. Muitas opções não ajudam, só complicam, principalmente a vida dos Pais. Eu como Pai aguento, desde que aceites a minha proposta.

Deves conhecer alguém no Canal Panda e outros do género. Alguém ligado ao marketing ou coisa parecida. Alguém que durante todo o ano injeta ideias muito convincentes na cabeça das crianças, apresenta personagens amorosas e histórias fantásticas. Chegado novembro (ou mais cedo ainda), convida-as a ter esses bonecos em casa: o autocarro da Patrulha Pata, a família do My Little Pony ou os detetives da Playmobil, só para falar em alguns (poucos). Os bonecos estão tão bem na televisão, para quê trazê-los para casa. Eu como Pai aguento, desde que aceites a minha proposta.

De certeza que já pensaste que a tua existência depende dos Pais, da forma como conseguem manter a tua história viva. Sempre que a ideia "O Pai Natal não existe" vem à conversa, os Pais defendem-te e criam, com muita imaginação, a ilusão que tu existes. E tu o que fazes pelos Pais? Hmm... Eu como Pai aguento, desde que aceites a minha proposta.Há mais um aspeto que quero que consideres. Tu tens um ano inteiro para te preparar para uma aparição...de segundos. Todos os anos, no dia 24, o telejornal mostra umas imagens que dizem ser da Lapónia, mas já toda a gente sabe que estás num estúdio algures por aí. Barbas cuidadas, barriguinha farta, sorriso amarelo e vestido de forma impecável. Por acaso já te imaginaste a vestir um fato comprado nos chineses? E a colocar aquelas barbas cheias de pelo a entrar pela boca e pelo nariz? E a barriga? Não nos podemos dar ao luxo de engordar daquela forma, porque depois temos de nos sacrificar no ginásio ou a correr quilómetros durante todo o ano. Já pensaste no que é que um Pai responde ao seu filho quando este pergunta "Pai, tens uns chinelos iguais ao do Pai Natal"?.. Já te perguntaste porque é que há tanta gente a vestir-se como tu? Eu como Pai aguento, desde que aceites a minha proposta.

Recapitulando para que não te esqueças de nada. Os Pais, por ti:

1. Aguentam dois meses a ouvir falar no Natal?
2. Inventam histórias sobre a tua existência?
3. Dizem às nossas crianças para te escreverem uma carta?
4. Respondem "Pede ao Pai Natal" quando vêm um anúncio na televisão?
5. Vestem-se da mesma forma que tu?

Está na hora de te pedir algo em troca, uma única coisa, algo que desde que te conheço nunca conseguiste cumprir.

Pai Natal, a minha proposta é esta, anota por favor: às 23:59 do próximo dia 24 eu quero que a campainha da minha casa toque. Eu próprio vou abrir a porta e quero que sejas tu. Quero que sejas tu entregar um presente ao meu filho.

Simples não é? Conto contigo.

O Pai

11.Dez.16

Pai, fiquei de castigo porque fiz asneiras

pai-fiquei-de-castigo-porque-fiz-asneiras.png

Que fique claro logo na primeira frase: eu quero que o meu filho faça asneiras. Há regras para tudo e explicá-las todas às crianças é uma tarefa sem fim. Como Pai defendo que devemos explicar às nossas crianças as bases de um comportamento social aceitável e as bases da boa educação, do respeito pelos outros e pelo o que nos rodeia. Tudo o resto, a criança tem de descobrir por si própria.


Vai portar-se mal? Vai.
Vai irritar-se? Vai.
Vai fazer barulho? Vai.
Vai bater num colega? Vai.
Vai fazer birra ao almoço? Vai....

Proteger as crianças da frustração, das chamadas de atenção, do castigo na escola ou em casa, é fazê-los viver numa espécie de redoma. As crianças também precisam de errar para aprender e quanto mais cedo melhor.

Há dias recebemos um email da professora a dar nota de um mau comportamento. O email serve para estarmos a par da situação e para contribuirmos para que seja evitado no futuro. Claro que nenhum Pai ou Mãe gosta de receber uma mensagem a dizer que o seu filho se portou mal na escola. É um ponto negativo, é muitas vezes entendido como uma falha dos Pais na educação do seu filho. O nosso papel como Pais foi posto em causa. Fomos julgados e considerados culpados.

Calma, calma. Lembrem-se do que escrevi logo na primeira frase: eu quero que o meu filho faça asneiras. Isto é assumido por mim Pai e pela Mãe. Queremos que ele bata na parede e reflita no que fez. Que sinta que o que fez não é bem aceite e que terá de corrigir. A vida adulta não é para santinhos, ou melhor, este Mundo não é para ingénuos, inocentes e pessoas moles. O Mundo é muito crú e não perdoa os mais fracos.

A personalidade dos seres humanos forma-se a cada dia que passa. São as experiências positivas e também as negativas que ajudam as pessoas a evoluírem. Oprimir comportamentos, avisar dos perigos antes que eles aconteçam, dizer o final do "filme" antes de o ver, contribuem para a tal redoma em que somos tentados a envolver os nossos filhos.

Repito, o Mundo real é crú. Deixem as crianças fazerem asneiras, mas cuidado, porque numa gestão de crise os Pais têm de agir rápido, nunca perder a sua posição de soberania, escutar e propor em conjunto, falar a uma só voz e, sobretudo, acompanhar muito de perto todos os movimentos, perceber estados de espírito e antecipar comportamentos desviados.

Atenção que cada criança é uma criança e para que os Pais consigam gerir as crises de uma forma mais tranquila têm de ter muita confiança nos seus filhos, saber olhar para as situações da forma mais imparcial possível e não culpar terceiros porque isso é desculpar e não assumir o problema.

O Pai

04.Dez.16

Pai, o melhor presente de Natal és tu e a Mãe

pai-o-melhor-presente-de-natal-es-tu-e-a-mae.png

 

As ruas já estão iluminadas, a televisão está cheia de anúncios de brinquedos, os catálogos das lojas já chegaram lá a casa, o bacalhau está em promoção no supermercado...

Será que falta pouco tempo para o Natal?(A respirar fundo) Sei que parece cliché, mas este ano o Natal está a aproximar-se depressa de mais. É impossível não pensar nas prendas e na consoada. Para pessoas minimamente organizadas como nós, o Natal é sempre sinónimo de azáfama, nervoso miúdinho e listas de presentes, principalmente para as crianças.

Por tradição, juntamos os catálogos das principais lojas e vamos trocando ideias. Há uma pré-seleção que é apresentada aos Pais, os Pais fazem uma lista de potenciais alvos e começa a comparação de preços. No final, damos o OK à lista final e surge a carta para o Pai Natal. Acredito que aí em casa não será muito diferente.

Contudo, fico sempre com uma dúvida a pairar. Se não existissem presentes, se o Natal não fosse tão materialista, se as crianças não fossem saturadas de opções e tivessem de escolher um único presente e não podia ser um brinquedo ou algo material, palpável com valor monetário.

É um cenário difícil de imaginar, que quebra com tradições, mas que nos põe a pensar. O que é que uma criança de 2 anos, de 6, de 10, de 14 ou 18 pediria para ter no Natal?

Vamos imaginar que existem duas cartas: uma para o Pai Natal e outra para...os Pais. Vejam este vídeo:

 

Eu fiz o teste cá em casa e como nós os Pais damos sempre uma prenda a juntar à do Pai Natal, disse que a carta para os Pais não podia ter brinquedos. O resultado foi este:

"Pai, eu quero que jogues mais à bola comigo, que não estejas tanto tempo no computador e me deixes ficar mais 5 minutos acordado para ver o Rei Juliano."

"Mãe, eu quero que jogues Monopólio comigo, que não fiques chateada quando não como a sopa toda e de manhã me deixes dormir mais 5 minutos."

Esta foi a parte dirigida a cada um, mas houve uma mensagem para os dois:

"Mãe e Pai, o melhor presente deste Natal é poder estar mais tempo convosco."

Hmm...! Engolimos em seco, olhamos um para o outro e fomos buscar um lenço de papel.

O Pai

01.Dez.16

Pai, és capa de revista

pai-es-capa-de-revista-a.png

Nunca pensei que algum dia seria capa de revista, mas acabou por acontecer e tudo por causa deste maravilhoso espaço chamado O melhor Pai do Mundo. Fui entrevistado pela Ana Rita Cortêz da Blogazine, uma revista digital de bloggers, feita com muito profissionalismo e talento.


Ser capa do número de dezembro torna esta iniciativa ainda mais especial. É o mês do Natal, o mês da família e claro aquele mês em que as nossas crianças entram em alvoroço com as férias…pois claro e com os presentes.

Capa da Blogazine de dezembro

A entrevista percorreu o ainda curto percurso deste blog e quis conhecer quem está por detrás das palavras. Foi uma conversa aberta, sem filtros e com muita piada. Aqui ficam alguns excertos, mas para ter acesso à revista completa siga este link (leitura e download gratuito).

Porquê o nome “O melhor Pai do Mundo?”

É uma homenagem a todos os Pais que me inspiram e que amam os seus filhos. O nome "O melhor Pai do Mundo" chama logo a atenção dos Pais e, claro das Mães. Até pode parecer um pouco pretensioso, mas a ideia é mesmo essa.

ler a entrevista completa

Inicialmente quais eram os objetivos que tinhas para o teu blogue?

No topo dos meus objetivos está que todos os Pais sintam que educar um filho é a maior e a melhor missão que a natureza nos proporciona. (...) É muito importante que façam valer o seu papel como Pai, falo em casa, mas também no trabalho e na sociedade em geral.
ler a entrevista completa


Pai, és capa de revista

A capa ficou 5 estrelas. Pareço um Pai cheio de estilo! A sessão fotográfica foi feita em família e revelou-se um momento muito divertido. Foi num dia de novembro, com sol mas com algum frio. Fomos para a varanda da nossa casa e o Pai fez umas poses como se fosse um modelo, até troquei de roupa entre fotografias.

Pai, és capa de revista
Leia mais um excerto da entrevista:

Raramente referes a “Mãe”. Porquê?

A Mãe está sempre presente, é o pilar principal, é quem segura as pontas, quem me faz descer à terra quando a minha criatividade me faz subir para lá das nuvens. Está presente no "nós", no "somos", no "fizemos" e por aí fora.
ler a entrevista completa

Achas que tens muitas mães a ler-te?

Tenho a certeza que sim! A maioria das pessoas que lê as minhas histórias são mulheres. É normal que assim seja. Sem querer ferir suscetibilidades, as mulheres são mais expansivas no que toca à maternidade e procuram, com maior frequência, referências que as ajudem a formar uma opinião.
ler a entrevista completa

Pai, és capa de revista
Para ler todas as perguntas e todas as respostas basta ir ao site da Blogazine em www.blogazine.pt e ler ou mesmo descarregar gratuitamente a revista digital. Para além da minha entrevista há mais pontos de interesse para ler e que valem a pena investir o seu tempo.

Claro que é mais um grande motivo de orgulho, é mais um passo para chegar a mais Pais e Mães. O meu muito obrigado à Ana Rita Cortêz e a toda a equipa da Blogazine, a quem desejo que continuem com o bom trabalho e sempre com objetivos ambiciosos, só assim é que se acelera para o sucesso.

O Pai